quarta-feira, abril 07, 2010

Mio Brasil querido...

Entonces... Eu fui ali e voltei. E podem dizer que sou chata e tarada por Orlando, mas eu continuo batendo na mesma tecla: Orlando é uma cidade incrível. Quem conhece Orlando vai achar que todas as cidades do mundo faltam alguma coisa. Então é isso... Qualquer lugar do mundo fica pequeno. E em vez de fazer um diário de viagem, meu post vai em tópicos. Coisas que aprendi em Buenos Aires nessa micro viagem de 4 dias:

• Os argentinos vivem de uma doença chamada alfajor. Devem ser pelo menos umas 20 marcas com uns 3 tipos de sabores. No Centro há uma loja de Havanna a cada duas esquinas.
• Os homens argentinos vivem de um treco chamado futebol.
• As mulheres argentinas vivem de um treco chamado novela. É novela de manhã, de tarde, de noite. Novela mexicana, argentina, brasileira (assistimos um trecho de “Caminho das Índias”, dublado em espanhol claro). E muitas novelas vão para o teatro.
• Eles realmente acham que estão na Europa (agem como se fossem europeus). E acreditam que o Brasil não faz parte da América Latina porque não falamos espanhol.
• A Argentina começou a se estabelecer em 1980 e foram lá que os argentinos pararam. As roupas, acessorios, decoração... tudo lembra os anos 80. Nas rádios entre 20 músicas tocadas uma é atual e as outras 19 são sucessos dos anos 80. Nas primeiras duas horas você se sente numa festa ploc, mas depois disso você vai ter a sensação de querer voltar pra 2010.
• Muito cuidado ao escolher um city tour. Embora o trajeto seja praticamente o mesmo. Se deve escolher uma empresa que tenha guias recomendados ou você pode fazer um city tour from the hell (o que eu fiz por exemplo eu tava achando que tava podendo dar mais informações que o próprio guia). É recomendado pegar os ônibus de dois andares com a parte de cima aberta. São bons para bater foto.
• Está indo para Buenos Aires? Estude pelo menos algumas palavras em espanhol. Há muitos falso-cognatos. E nós brasileiros nos esforçamos muito mais pra entende-los do que eles pra nos entender.
• Podem dizer o que quiserem, mas os floggers são os verdadeiros revolucionários de Buenos Aires. Não se contentam em viver no passado.
• Não subestimar nunca o potencial de uma feira de antiguidades como a de San Telmo.
• Não custa nada frisar: a situação constrangedora de hoje é a boa piada de amanhã.
• Transporte em Buenos Aires é barato. Então metrô não é uma opção de transporte na cidade. A não ser que em vez de voltar 30 anos no tempo você queira voltar 60 anos.
• O Abasto é o melhor shopping e o único recomendável a se ingerir algo.
• “Gatto” é o pior restaurante da cidade em todos aspectos.
• E voltar pro Brasil é a melhor coisa do mundo.

Mio beso, Odeth

3 comentários:

Chama Chan disse...

jajajaj... amei amiga... como voce pode descrever tao bem esta cidade!!!jajajaja.. igual ja to morrendo de saudades!!!!

Ana David disse...

Eita nega!!!! Tu nao para, ne!!! Ja tinha um tempo que eu nao passava aqui... Muita saudade de voce...

♥ Leila Diniz♥ disse...

hahahaha morri morri de rir!!!
Por intrigas futebolisticas ( e olha q eu sou mulher), desde de criança a gente aprende a não ir tanto com a cara dos hermanos, ne? Dai foi um barato só ver vc descrevendo tudo! Achei demais isto de parecer anos 80! E a conclusão de que com o passar das horas fica querendo voltar pra 2010, pq tipo, tá tão na moda anos 80, q esta informoção podia ser bem atrativa, mas realmente ninguém merece isso como rotina ne???

Enfim... adorei!!! E viaja mais, pq é muito bom ler depois..rsrsrsrs

beijooooooooooooooooooooo